26 de out de 2014

Infância, adolescência e vida adulta


Eu sempre leio muitas pessoas falando que gostariam de voltar a infância, voltar a ser criança e tal. Eu já não tenho muita certeza disso. Por que? Bom, não é que tive uma infância ruim, mas também não foi das melhores.

Eu passei a minha infância solitária pois meus pais e irmãos trabalhavam direto. Ficava completamente sozinha em casa o dia todo. Brincava sozinha, falava sozinha. Mas o pior não era só isso... Eu escutava vozes e barulhos e não tinha pra onde me refugiar! Eu tinha medo, muito medo.
Eu ficava sozinha, mas nunca me machuquei. Fui uma criança saudável que comia salada quando sentia fome a tarde (é sério!). Eu estava tão acostumada a brincar sozinha, que não me sentia bem e não sabia como brincar com outras crianças quando comecei a ir a escola ou quando ia para acampamentos da igreja. Era complicado porque nunca gostei de participar de gincanas e detestava fazer algo obrigada. Passei por coisas muito ruins na pré-escola, coisas das quais nunca mencionei para a minha mãe porque não queria atrapalhá-la com "besteira" da escola. Isso de achar "besteira" fui eu quem deduzi, ela JAMAIS falaria uma coisa dessa se soubesse o que aconteceu. Nem quando fui empurrada em um formigueiro, do qual sou alérgica, eu contei. Eu preferia que ela usasse um pouquinho do tempo vago dela para ficar comigo e não resolver coisas na escola. Coisas das quais sobrevivi.

Quando entrei no ensino fundamental, as coisas não melhoraram. Continuei a ser muito, mas muito zoada. Eu nunca briguei, sempre fiquei na minha só escutando quieta. Mas isso sendo uma coisa ruim porque acabei me tornando uma pessoa muito fechada, sem muitos amigos. Isso foi uma "arma" que criei para me proteger. Eu achava que me fechando, as pessoas não zoariam comigo por medo, não se aproximariam, logo, não me machucariam. Por um lado isso deu certo, mas por outro...

O lado que deu errado disso é que as pessoas realmente não se aproximavam de mim! Sim, medo. Acabei ficando fechada demais, não dava abertura para ninguém mesmo! Mas acabou que sendo involuntário isso.

Da minha adolescência não tenho nada pra falar porque ela, basicamente, consistiu em trabalho, trabalho e mais trabalho =) Não, não é uma reclamação. Foi bom o que passei. Claro que não desejo a ninguém, mas foi um ótimo aprendizado. Conheci muitas pessoas, vi que existe vários tipos de pessoa e aprendi a lidar com cada uma delas. E o que sempre digo, não sei o que teria acontecido comigo se tivesse continuado aqui... Uma coisa é certa, não teria conhecido minhas melhores amigas e muito menos ele...

Eu prefiro bem mais a minha vida adulta. Gosto mais da minha vida adulta. Ninguém mais me zoa, ninguém mais vai me jogar no formigueiro. Logicamente que nunca estamos livres de sermos machucados, mas depois de adultos, conseguimos lidar melhor com isso. Mesmo vozes que eu escutava quando criança e ainda escuto às vezes, não me assusta mais =)


Nenhum comentário:

Postar um comentário